PUBLICIDADE

[O Essencial - Conto 5] Roger

27 de mar de 2015


  

- O maldito tinha que ir justamente para lá, não é?!
- Como se ele tivesse escolha. – Diz Keyla, tentando me acalmar – sei que odeia ter que ir lá, mas dessa vez, assim como ele, não temos escolha Roger.

Ela sempre olha o melhor lado das coisas, como se até coisas horríveis pudessem ser explicadas ou entendidas.
- É. Claro. – Respondo.
   

Deito a cabeça nos braços, na mesa do café, já terminei, ou melhor nem comi. Devo ter cochilado um pouco, já que quando levando da baba que escorreu da minha boca, a louça e a mesa estão limpas. Keyla está no Computador Central, o celebro de nossa casa e arredores. Os computadores menores, ligados em nossas experiências apitam e piscam, como se houvesse algo errado com eles, na verdade tinha, um maldito mercenário roubou um dos Corações do nosso “Castelo”. Não que fossemos ricos o suficiente para ter um castelo, nem que fossemos da realeza nem nada, mas tínhamos esse vasto terreno e muita criatividade, sendo assim, por que não construir um castelo não é mesmo?!
   

O rei nos “deu” esse terreno, de uns 5 quilômetros quadrados e em exatos 5 anos, erguemos nossa fortaleza. E enquanto vivíamos nossa vida normalmente, claro, com todos os empecilhos que nos perseguiam, um  maldito de um mercenário deu um jeito de invadir nosso castelo e roubar uma peça que além de central para o funcionamento do nosso trabalho, se mal usada podia destruir um país inteiro.
   

Daí nossa decisão de ir atrás do sujeito. Com nossa rede de dados, além de vários contatos, logo identificamos o criminoso. Descobrimos que ele além de foragido em seu pais de origem era procurado em mais três, por crimes hediondos e contra o pudor(não relevante que você saiba). Ele se formou com honras na mesma escola de bruxaria que eu e Keyla, a Academia Mundial Dos Bruxos, uma conceituada escola de elite(não tão elite assim hoje em dia, devo confessar) com mais de 200 anos de tradição e vigor, uma das mais antigas ainda de pé. 
   
Seu nome é indecifrável, por assim dizer, não consta no registro da escola, nem em nenhum outro lugar que ele tenha aparecido, aparentemente usou algum tipo de feitiço para “encobrir” seus passos, seu único registro intacto é de sua única prisão, há 3 anos, em tal documento, ele aparece com o nome de Razzir Mitte, 35 anos, sem profissão definida, ficou um dia preso e por conta de falta de provas e  com um bom advogado, foi liberado. Mas ele mexeu com os cientistas errados. Nossas câmeras de segurança o flagraram em diferentes posições e mesmo com o capuz e seu feitiço estranho que o transformava em fumaça por alguns segundos, fomos capaz de achar informações com base nas imagens.

   
Ele tinha sido visto pela última vez em um mercado clandestino em Kir’ra no País dos Anões, uma terra abandonada, aonde somente a policia local é quem manda, seu rei é inexperiente e irresponsável e por mais que seu povo queira, a república não é algo muito comum por aqui. Bruxos são proibidos por lá, se algum for pego, na melhor das hipóteses é deportados com confiscação de bens, na pior, bem na pior, você verá do que é feita a crueldade de alguns anões. De lá ele não foi mais visto. Ao menos não no nosso mundo. Faz cerca de 200 anos que descobrimos um mundo paralelo, o seu mundo, bom depende do ponto de vista, chamamos de Terra 2. Afinal, do nosso ponto de vista estamos ocupando o “mesmo espaço a mais tempo”, nossa vida é basicamente a mesma que a de vocês, mas vocês nos chamam de “fantasia” (Sim, humanos que também descobriram sobre nós – a Terra 1 – dizem que não poderíamos existir, mas isso é assunto para uma outra história).


E acontece que, para que não haja nenhum tipo de confusão relacionada aos mundos, Os Países Unidos, organização que pode responder por todos nós, decidiu vedar as fendas, portais e ligações dos mundos, decretando assim terminantemente proibida a viagem entre eles.
   
O Tal “Razzir” vulgo maldito ladrão, foi longe o suficiente e burlou essa regra, segundo uma fonte minha no Monitoramento Interdimensional – lugar em que eles monitoram as passagens – Uma das passagens foi aberta momentaneamente, o que me leva a crer que esse cara, não é um simples ladrão ou um bruxo qualquer, ele tinha um plano e claro mais pessoas envolvidas, e eu iria descobrir que plano era esse e quem realmente estava por trás disso, custasse o que custasse.

CONTINUA...


Texto por Rafael P.c
É isso ai, espero que gostem, até a próxima semana! 
Curta nossa Página: Facebook
Estamos no Orelha De Livro
Comentarios Facebook
Comentarios Blogger

0 comentários:

Postar um comentário




 
Top