PUBLICIDADE

[Resenha] Marca De Uma Lágrima, Pedro Bandeira

22 de out de 2014


"Isabel, uma jovem inteligente e criativa de 14 anos, apaixona-se por seu primo Cristiano, que é apaixonado por Rosana, sua melhor amiga. Como seu amor não é correspondido, Isabel encontra um caminho para declarar-se a ele: escrevendo cartas românticas, que são assinadas pela amiga Rosana. Obcecada por esse sentimento, a adolescente nem se dá conta de Fernando, que a ama e está sempre por perto como um bom amigo. O assassinato da diretora da escola muda os rumos dos acontecimentos, e Isabel corre risco de vida por ter testemunhado mais do que devia. No hospital, descobre seu verdadeiro amor por Fernando."


A Marca de uma Lágrima (1985)  escrito por Pedro Bandeira é um livro  infanto-juvenil, que conta a historia de Isabel, uma garota de 14 anos que se vê loucamente apaixonada por seu primo Cristiano. Logo se vê desolada quando este se envolve com sua melhor amiga Rosana.

Isabel é uma personagem complexa, tem vergonha de sua aparência, se acha fora do peso, e duvida que alguém possa ama-la devido a isso.

“Ah, tormento que eu não posso confessar...
que eu escrevo é a verdade, eu não minto,
eu declaro tudo aquilo que eu sinto,
e é a outra que teus lábios vão beijar...”

Logo sua amiga Rosana lhe pede ajuda para conquistar Cristiano e ele faz o mesmo, assim Isabel passa a escrever cartas, colocando em palavras o que sente pelo primo, fazendo assim com que Rosana e Cristiano comecem a namorar. Ao mesmo tempo  em uma outra cena um crime acontece na escola e Isabel se torna a principal testemunha.

Drama, amores impossíveis, assassinato, cada pequeno detalhe desse livro faz com que o leitor fique preso ao livro, sempre querendo mais, e é claro sempre torcendo para Isabel conquistar seu amado.


"A marca desta lágrima testemunha que o amei perdidamente
Em suas mãos depositei a minha vida, e me entreguei completamente.
Assinei com minhas lágrimas cada verso que lhe dei
Como se fossem confetes de um carnaval que não brinquei.
Mas a cabeça apaixonada delirou
Foi farsante, vigarista, mascarada.
Foi amante, entregando-lhe outra amada
Foi covarde que, amando, nunca amou!"  
Pedro Bandeira





Beijos e até a próxima !
Texto por Flávia.

Curta nossa página  Facebook,
Estamos no Orelha de Livro


Comentarios Facebook
Comentarios Blogger

0 comentários:

Postar um comentário




 
Top