PUBLICIDADE

[Resenha] A Noite dos Mortos-Vivos, John Russo

20 de set de 2014


“Se hoje os zumbis estão em alta – influenciados em grande parte pela série The Walking Dead e por games como Resident Evil e filmes como Zumbilândia, além de contracenar com Brad Pitt – é porque, em 1968, George Romero e John Russo se reuniram para escrever o roteiro de A Noite dos Mortos-vivos e mudar a história do cinema. O filme revolucionou o mito sobre as criaturas que voltavam do além: as superstições vodus das velhas produções B deram lugar à epidemia de fome canibal nas ruas norte-americanas. Criaturas similares já haviam aparecido antes nas telonas, mas foi em A Noite dos Mortos-vivos a primeira vez em que foram retratados como uma praga devoradora de carne humana.”

Fala galerinha por motivos pessoais eu acabei atrasando a publicação, mas vamos de mais um #LeitorDeBula e vamos falar de mais um livro que foi lançado pela DarkSideBooks. Hoje vamos de “A Noite dos Mortos-Vivos” de John Russo.

A história do livro é IDENTICA a do filme, que foi dirigido por George Romero em 1968. Começamos o livro com Barbra e Johnny chegando ao cemitério para deixar flores a seu falecido pai, no cemitério eles encontram e são atacados por um zumbi. Barbra com sorte consegue escapar e corre em busca de um esconderijo, ela encontra a fazenda dos Miller e logo em seguida é encontrada por Ben, que não poupa esforços para protegê-los. Após alguns capítulos surgem novas personagens que estavam se refugiando no porão da residência, são eles: Tom e sua namorada Judy, que estavam indo nadar quando o noticiário anunciou os ataques dos mortos-vivos, Harry e Hellen Cooper que estão preocupados com a sua filha Karen que foi arranhada por um zumbi.

E ao decorrer da história vemos a angustia de todos ao enfrentarem coisas que não têm conhecimento, os confrontos de ideias entre eles para que sobrevivam e temos todas essas sensações ao ler e nos colocar no lugar de cada personagem.

O livro também conta com um plus, que é a continuação “O Retorno dos Mortos-Vivos” (que eu ainda não vi o filme). O livro se passa 10 após os acontecimentos de “A Noite dos Mortos-Vivos” e mostra o medo das pessoas de que os mortos voltem a se levantar, então eles continuam a enfiar estacas nas cabeças de seus falecidos para que eles não retornem de seu sono.

Essa continuação começa com Bert Miller (sim, parente dos Miller do primeiro livro) levando suas três filhas (Karen, Ann e Sue Ellen) a um velório e lá eles ficam sabendo de um acidente de ônibus, fazendo com que todos saiam em busca dos mortos para cravarem estacas em suas cabeças. Infelizmente eles não conseguem terminar a tarefa a tempo, pois a policia chega e leva todos os corpos ao necrotério. Eis que a noite chega e com isso os mortos voltam a se levantar para matar a sua fome de carne humana e gerando novamente o caos instalado há 10 anos.

Eu particularmente gostei bastante do livro, porém eu não indico que vejam os filmes antes já que a história é a mesma e pode soar meio repetitivo. Vale muito a pena conferir o livro que é de grande qualidade, tanto em conteúdo como no livro em si e novamente parabenizo a editora DarkSide pelo ótimo trabalho.

Bom por hoje é só e eu vou ficando por aqui, espero que tenham gostado da resenha de “A Noite dos Mortos-Vivos” e do plus “O Retorno dos Mortos-Vivos” e espero que procurem o livro, pois é outra mídia que completa todo o universo construído pelo pai dos zumbis modernos.

Curta nossa página  Facebook,
Estamos no Orelha de Livro
Comentarios Facebook
Comentarios Blogger

0 comentários:

Postar um comentário




 
Top