PUBLICIDADE

[Resenha] Juliette Society, Sasha Grey

5 de set de 2014


"Se eu te contasse que existe um clube secreto, cujos membros pertencem à classe mais poderosa da sociedade – banqueiros, milionários, magnatas da mídia, CEO’s, advogados, autoridades, traficantes de armas, militares condecorados, políticos, oficiais do governo e até mesmo o alto clero da Igreja Católica –, você acreditaria? Este clube se reúne sem regularidade, em um local secreto. Às vezes em locais distantes e às vezes escondidos. Mas jamais duas vezes no mesmo lugar. Normalmente, nem mesmo duas vezes no mesmo fuso horário. E esses encontros, essas pessoas... não vamos enrolar, vamos chamá-las do que são, os Mestres do Universo. Ou o Braço Executivo do Sistema Solar. Então, essas pessoas, os Executivos, usam os encontros como uma válvula de escape do cansativo e estressante negócio de estragar ainda mais o mundo e criar novas maneiras sádicas e diabólicas de torturar, escravizar e empobrecer a população. E o que eles fazem em seu tempo livre, quando querem relaxar? Deveria ser óbvio. Eles fazem sexo."

Fala galerinha é sexta-feira e vamos de mais um #LeitorDeBula e essa semana o post é especial, já que amanhã (06/09) é o Dia do Sexo vamos adentrar em uma sociedade criada por ninguém menos que Sasha Grey. Bora de "Juliette Society".

"Antes de irmos adiante, vamos combinar uma coisa. 
Eu quero que você faça três coisas por mim. 
Uma. 
Não se ofenda com nada que ler a partir deste ponto. 
Duas. 
Deixe suas inibições à porta. 
Três, e mais importante. 
Tudo que você vir e ouvir a partir de agora deve ficar só entre nós. 
Ok. Agora vamos ao que interessa."

O livro conta a história de uma estudante de cinema, Catherine, que tem como melhor amiga Anna e compartilham alguns desejos obscenos por seu professor. O livro começa mostrando a autodescoberta de Catherine que achava que tinha uma vida sexual satisfatória (e ela sempre diz que tem), mas essas descobertas acabam por assustar seu namorado Jack, que trabalha na campanha política de Bob (que tem um papel importante na história). Anna desempenha um papel essencial nas descobertas de Catherine, pois é ela que a leva para conhecer novos lugares. Lugares esses onde o sexo não é tratado com pudor, onde todos os desejos e fantasias tomam formas sem serem julgados, sejam eles desejos rasos ou os desejos mais sádicos.

E é nessas idas que Catherine encontra a "Juliette Society" que é clube que se reúne sem uma frequência exata, mas nunca no mesmo local e nem na mesma hora. Onde somente os membros mais poderosos da sociedade tem entrada garantida e que se reúnem com um único propósito: Sexo.

Eu curti bastante o livro, pois ele explora bem alguns assuntos relacionados ao sexo, como o sadismo. As partes que eu achei mais interessantes foram as que ela achava estar delirando e tudo ser algo de sua cabeça. Esperava um pouco mais do livro, mas foi satisfatório levando em conta que é o primeiro livro escrito pela Sasha, o livro (pelo o que eu me lembre) não tem eufemismos é na base da linguagem "suja" por assim dizer. A história tem muitas referências cinematográficas que sempre pendem pro lado sexual, o que eu achei super válido já que Catherine estuda cinema Pra mim final é bastante surpreendente, porém chega a ser um pouco fantasioso.

Bom por hoje é só e eu vou ficando por aqui, espero que tenham gostado da resenha "temática" de hoje e que procurem ir em busca da "Juliette Society" para desfrutarem tudo o que ela tem a oferecer. Mas não se esqueça que "segredos são melhores mantidos, não revelados."

Curta nossa página  Facebook,
Estamos no Orelha de Livro
Comentarios Facebook
Comentarios Blogger

0 comentários:

Postar um comentário




 
Top