PUBLICIDADE

[Resenha] Delírio, Lauren Oliver

13 de jun de 2014


“Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?”

Lena tem uma vida comum, comum até demais, mas tudo tende a mudar após sua entrevista antes de sua intervenção. Para ser mais específica isso muda após a entrada de vacas, sim vacas, no laboratório onde ela esta fazendo sua entrevista e Lena vê um segurança rindo da situação.

O mesmo segurança da parte de trás dos laboratórios, quando Lena e Hana vão correr por esses lados. O mesmo cara que a vê numa festa ilegal e proibida  e a chama para dançar. Esse segurança, é Alex.

É com Alex que Lena vai descobrir a paixão ou a doença: “Deliria nervosa” ou popularmente conhecida como Amor. É com esse rapaz, inválido, que ela vai descobrir a verdadeira razão da vida não ser comum como a de todas as outras pessoas, a verdade sobre sua existência e muitas outras verdades e descobertas que são imagináveis para ela.

O livro é bem escrito, cheio de coisas “comuns”, e clichês, para a história são coisas clichês, mas acaba revelando um lado um tanto curioso ao desenvolver da história.

O fato que me chamou mais atenção, foi o simples motivo do livro mudar o estilo conforme a personagem enfrenta seus medos, nas novas coisas que ela acredita e no que ela deixa de acreditar. Realmente esse livro é surpreendente.



Bom por hoje é só, espero que tenham gostado dessa resenha.
Abraços e até a próxima!

O Blog esta com vagas abertas para pôster. Se interessou? Clique aqui e saiba mais.

Texto por Grazi
Curta nossa página no Facebook
Estamos no Orelha de Livro
Comentarios Facebook
Comentarios Blogger

0 comentários:

Postar um comentário




 
Top